novembro 5, 2020

A Inovação fabricando um futuro mais Sustentável

by nrghub in Inovação

À medida que os fabricantes navegam em sua resposta à crise e recuperação, as oportunidades para inovação são agora mais importantes do que nunca.

Hoje, estamos no meio da mudança tecnológica mais surpreendente que nossos negócios, nossas indústrias e nosso mundo já testemunharam. Juntamente com essa transformação, vêm as implicações econômicas, de saúde e segurança resultantes da pandemia global.

Comento abaixo alguns pontos de inflexão sobre o assunto.

A Covid-19 afetou todos os setores da indústria. À medida que a pandemia se desenrolava, vimos imediatamente uma grande interrupção em termos de demanda, oferta e força de trabalho. Para cadeias de suprimentos, um aspecto importante disso era uma dependência excessiva de uma fonte ou um país, bem como cadeias de suprimentos que eram muito enxutas. Além disso, os fabricantes enfrentavam sérios desafios em torno da continuidade dos negócios. Eles não podiam ver seu estoque ou seus fornecedores. Aliados a isto, sem ter sua força de trabalho no chão de fábrica ou ter a capacidade de se conectar com seus ativos ou fornecedores, os fabricantes lutavam para se manter operando. Acredito que algumas das maiores mudanças decorrentes desta crise incluirão um certo, senão significativo, nível de regionalização e localização das cadeias de suprimentos. Também prevemos que os fabricantes desenvolverão recursos em operações remotas para lidar com a próxima crise. Requalificação da força de trabalho, eliminar a lacuna de competências e garantir saúde e segurança em torno dos novos padrões que a pandemia impôs a todos nós, serão considerações prioritárias daqui para frente. Finalmente, mas mais importante, sabemos que a sustentabilidade se tornará um foco muito maior.

Se esta pandemia global nos ensinou alguma coisa, ela nos ensinou que nenhuma empresa é 100 por cento resiliente, mas que as empresas que são fortificadas com alguma forma de capacidade digital, tendo construído pelo menos níveis razoáveis ​​de ‘sistemas de inteligência de negócios’, são mais resilientes do que outras. A tecnologia está no centro de como as empresas sobreviverão a essas situações e como irão prosperar no futuro. Vimos mais transformações digitais acontecerem por necessidade durante os primeiros dois meses da crise do que só nos últimos dois anos. Resumindo, dizemos que os segredos para uma resposta e recuperação bem-sucedidas são os fabricantes operarem remotamente em qualquer lugar, simular tudo e automatizar em qualquer lugar.

Mas essa transformação não envolve apenas tecnologia. Pensando primeiro em como podemos ajudar as pessoas a realizar mais, podemos descobrir o verdadeiro papel da tecnologia. É apenas uma ferramenta, uma forma de ajudar as pessoas a fazer coisas incríveis, resolver problemas maiores, criar experiências mais gratificantes e gerar mais valor. Essa é a era em que estamos hoje. Vejo uma tremenda oportunidade para líderes, empresas, nossas economias e para todos.

Com tantas oportunidades disponíveis a utilização da rede de parceiros foi fundamental a uma grande parte de empresas. Com centenas de milhares de parceiros, nosso ecossistema se tornou mais forte do que nunca. Juntos, as empresas conectadas promovem inovações revolucionárias para clientes em todo o mundo. Os parceiros de negócios estão incorporando tecnologias entre si e em suas próprias soluções e entregando valor mais diferenciado e de longo prazo para os clientes. Eles estão oferecendo serviços gerenciados de alta fidelidade, consistentes, repetíveis e cada vez mais na nuvem (guardada as limitações de produtos). Todos estão apostando tudo na inteligência artificial (IA), ajudando a torná-la mais acessível e valiosa para todos.  Todos os principais fornecedores parceiros passaram a utilizar a Internet sendo ela tradicional ou das coisas industriais (IIoT) para unir forças e oferecer seus produtos/serviços e soluções nas mais variadas formas de plataformas conectadas. Da forma que cada empresa hoje está impulsionando sua própria intensidade tecnológica, todos estamos fazendo parcerias com os clientes não apenas para ajudá-los a adotar as ferramentas e tecnologias mais recentes, mas também para capacitá-los a construir seus próprios recursos digitais exclusivos e impulsionar a inovação em seus setores.

Os fabricantes estão sendo pioneiros no uso da tecnologia e atendendo aos desafios de um cenário em rápida mudança, aprendendo que aqueles que são mais bem-sucedidos entendem que esse processo é uma jornada (do consumidor) – que apoia as pessoas na criação de valor organizacional por meio de uma visão, estratégia, cultura e potencial e capacidades únicos. Em seguida, eles recorrem à tecnologia para permitir novos modelos de negócios, transformar-se em uma cultura baseada em dados e reinventar toda a sua cadeia de valor. Os recursos integrados que abrangem a tecnologia criam – o que acredito – é uma plataforma de operação incomparável para esse tipo de transformação em escala global.

A sustentabilidade se tornou um fator-chave na manufatura e sua importância crescerá à medida que as populações aumentam e os recursos diminuem. Acredito que a contribuição mais importante das empresas para a sustentabilidade não virá apenas do trabalho, mas ajudando os parceiros e clientes em todo o mundo no aprendizado e com o poder da ciência de dados, IA e tecnologia digital. Para muitos a sustentabilidade já é uma parte central de seus negócios, enquanto outros estão apenas começando seu trabalho para mitigar o seu impacto no negócio.

A busca de novas parcerias para abordar a sustentabilidade inclui a inovação conjunta com clientes e parceiros para desenvolver soluções. A promoção de colaborações e coalizões entre setores para desenvolver novos padrões e ferramentas é uma função essencial para a adoção de novas tecnologias, melhoria da eficiência operacional e capacitação da força de trabalho.

Quando olhamos para a capacitação da força de trabalho, devemos primeiro enfrentar a crescente lacuna de habilidades e a escassez de talentos em qualquer setor hoje. Requalificar os funcionários é mais importante do que nunca, porque agora adicionamos preocupações sobre a segurança dos funcionários e o trabalho remoto, sem mencionar a continuidade dos negócios.

Os fabricantes devem encontrar maneiras de atrair a próxima geração de funcionários e, ao mesmo tempo, reter a experiência de seus colaboradores experientes. Ao mesmo tempo, as pessoas precisam estar equipadas com as habilidades digitais essenciais para o novo mundo de trabalho de hoje. Para fazer isso, existem recursos avançados como automação, IA, serviços cognitivos e realidade mista, onde  essas tecnologias servirão para aprimorar uma nova força de trabalho híbrida de inteligência humana e de máquina, permitindo com que os fabricantes revolucionem suas fábricas, construam locais de trabalho modernos e inclusivos e otimizem a eficiência para melhores experiências do cliente.

A manufatura sustentável continuará a ser uma prioridade crescente à medida que os fabricantes projetam processos economicamente sólidos em toda a cadeia de valor de ponta a ponta, trabalhando para eliminar o desperdício e criar melhores resultados para seus negócios e mais valor para seus clientes.

A presença da tecnologia e da inovação em cada etapa do caminho, navegando por essas mudanças e compartilhando com os clientes (novos protagonistas), parceiros, comunidades e indústrias, permitirá a continuidade e abertura de novos caminhos na fabricação, cocriando inovações e tecnologias de referência e com foco na experiência do cliente.

Cada vez mais, a conexão da tecnologia e inovação nos remete a novos paradigmas de sustentabilidade, deixando claro a necessidade de um caminhar conjunto. A pandemia não veio apenas para impactar momentaneamente, mas sim deixar uma marca de transformação que irá mudar totalmente o processo empresarial e corporativo mundial.

Sobre Jorge BIFF Netto: 

Formado em Administração de Empresas e Direito, Jorge Biff Netto atua há mais de 20 anos com inovação. Além disso, é consultor em transformação digital, internacionalização de negócios e estratégia empresarial. Atua como professor e coordenador na PUCPR e é Head de Aceleração na Hotmilk-PUCPR.