julho 3, 2019

O que é Economia Circular?

by nrghub in Especialista

Afinal, o que é essa tal de Economia Circular?

Após a moda da Sustentabilidade e da Responsabilidade Social Corporativa, finalmente chegou no Brasil o início da onda da chamada Economia Circular. O nome pode parecer estranho e não diz muito. Costuma vir acompanhado de outros termos estranhos como “circularidade”, produto circular dentre outros. Basicamente, o que a Economia Circular pretende é fazer com que as cadeias produtivas saiam do padrão linear de

Extração – Produção – Consumo – Descarte

para um outro padrão que busca imitar o que fazem os sistemas naturais no chamado ciclo de nutrientes.

É um nome novo que engloba conhecimento e técnicas antigas para reduzir e eliminar o impacto negativo sobre a natureza. Dentro da linha de produção, identifica um caminho percorrido por materiais tecnológicos (materiais inorgânicos) e outro por materiais biológicos (materiais orgânicos que podem facilmente serem biologicamente decompostos).

A Economia Circular trata produtos, processos e projetos levando em consideração as seguintes características:
• Resíduos são vistos como fonte de nutrientes;
• Prioriza a utilização de fontes de energia renováveis;
• Constrói ambientes resilientes à partir da diversidade;
• Planeja e pensa sistemicamente.

O desafio é fazer com que os materiais que já foram retirados da natureza sejam utilizados em produtos de longa duração, preferencialmente desenhados para serem facilmente reparados, reutilizados, reciclados e, ao final de sua vida útil, possam voltar ao fabricante para que sua matéria-prima possa permanecer na cadeia de produção. É importante que você desconfie de qualquer profissional que fale que Economia Circular conduz à produção do Lixo Zero! Qualquer pessoa com conhecimento básico de Física e Química sabe que devido à entropia, nenhum sistema tem rendimento de 100%. Lixo Zero, no meu entender, é mais um desfavor que o marketing faz para confundir empresas e mercado na busca de soluções ecológicas.

Nessa nova tentativa de alinhar a atividade econômica com os passos da natureza, a Economia Circular enfatizam a agregação de valor ao negócio e à manutenção do valor dos materiais em todas as fases do processamento. Quem já se aprofundou no estudo dos problemas da reciclagem provavelmente já entendeu que, na maioria das vezes, os materiais tem seu valor perdido. Uma das causas é a mistura com outros materiais que inviabilizam sua obtenção de forma pura para ser incorporado novamente na mesma cadeia produtiva. Um outro típico exemplo de perda de material nobre por uma opção equivocada de solução é o persistente uso do PET para a confecção das famosas vassouras erroneamente chamadas de “ecológicas”.
Em um período de recursos escassos e de mudanças climáticas, o Brasil encontra-se em um cenário econômico, social e ambiental desafiador. O consumo eficiente da água, energia e materiais juntamente com a redução e eliminação da geração de resíduos nos processos produtivos são práticas estratégicas fundamentais para a preservação da natureza. A solução passa por uma abordagem inteligente, humana, que respeite a livre iniciativa e sem o viés ideológico da militância ambientalista.

A chegada da onda da Economia Circular proporciona uma grande oportunidade de fazermos nosso dever de casa. Economia Circular é business, é técnica, é sustentabilidade pragmática. Os profissionais que realmente quiserem colaborar para reerguer as empresas brasileiras precisam limpar o viés ideológico que contaminou o discurso da sustentabilidade. Por outro lado, as empresas que quiserem continuar sua relação comercial com a Europa, ganhar novos mercados, precisa investir em sustentabilidade pragmática: aquela que dá resultado na linha de produção e leva produtos de alta qualidade para a casa dos brasileiros e estrangeiros.